atividade2

Repetidas vezes tenho me deparado com pais me fazendo esta pergunta. E repetidas vezes tenho respondido: deixe a criança decidir à qual ela se adapta mais. Quando isto for difícil, ajude, mas nunca imponha!

Muitos pais por acharem que exercício A ou B são melhores ou farão suas crianças crescerem mais, ou mesmo porque estes mesmos pais foram atletas neste ou naquele esporte, forçam suas crianças a praticarem uma atividade física à qual não se adequam ou não gostam.

. Não há evidências de que um esporte seja melhor do que outro para o desenvolvimento físico ou motor. Alguns esportes, por trabalharem com o impacto, podem estimular o desenvolvimento ósseo. Porém, o ideal é que seu filho tenha prazer em praticar um esporte de forma rotineira, mas sem pressões por resultados. As crianças selecionam naturalmente esportes que lhes favorecem. Uma criança acima do peso pode por exemplo, enfrentar dificuldades em esportes que dependam de velocidade, mas pode ser beneficiada em esportes que envolvam força. A criança mais baixa pode enfrentar dificuldades em esportes que dependam de altura para o melhor rendimento. Ainda assim, é a vontade da criança que deve prevalecer.

Outro aspecto a considerar é a exigência de alto rendimento esportivo exigido por alguns pais. Na infância o esporte é uma atividade lúdica na sua essência. A competitividade virá como uma consequência natural do desejo e da habilidade da criança em praticar o esporte escolhido.

A criança não deve ser obrigada a praticar um esporte por vontade dos pais. Como o gosto de crianças e adolescentes pode mudar de forma rápida, o ideal é que o local da prática esportiva permita a participação em diferentes modalidades, até que ela se identifique com um esporte em especial.

Outro aspecto sempre envolvido em atividades esportivas é o controle de peso. Observe o desempenho e aporte de nutrientes adequados para que não haja excessos, que não beneficiam em nada a criança.

Atividade física é essencial, mas cuidado com exageros. E lembrem-se em respeitar sempre o desejo e as limitações de seus filhos!!!

Henrique - pediatra