Febre Amarela- algumas considerações…

Nos últimos meses a febre amarela voltou a ser notícia. Surtos localizados em algumas regiões de Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo assustaram as pessoas em todo o país.

A febre amarela é uma doença aguda, febril, causada por um vírus e cuja transmissão se dá por picada de mosquitos infectados. Seu período de incubação varia de 3 a 6 dias, podendo em alguns casos alcançar até 15 dias. No Brasil temos a febre amarela silvestre na qual os macacos são os principais reservatórios do vírus e o ser humano é considerado hospedeiro acidental. Não temos febre amarela transmitida em ciclo urbano no Brasil desde 1942.

Não existe tratamento específico para a doença sendo a vacinação a proteção efetiva contra a doença, existindo áreas com recomendação de vacina e áreas sem esta recomendação, como Pernambuco, por exemplo. E quem deve vacinar?

1.Todos aqueles, a partir de 9 meses até 60 anos , que moram nas regiões do país de risco para a doença, que não tenham sido vacinados ou que tenham recebido apenas uma dose da vacina.

2. Aqueles que vão viajar para as regiões de risco.

3. Os viajantes para países que exigem a vacinação, de acordo com o Regulamento Sanitário Internacional.

Algumas contraindicações e precauções devem ser seguidas;

Não vacinar crianças abaixo de 6 meses, pessoas com quadro de imunodepressão, mulheres grávidas (exceto em situações especiais avaliadas por médico), pacientes com câncer e os submetidos a transplante de órgãos. Idosos necessitam avaliação do custo-benefício da vacinação que deve ser feito por médico.

Cuidado especial deve ser tomado com mulheres amamentando, que devem suspender a amamentação por 28 dias quando vacinadas, para não transmitirem a doença ao seu bebê.

Febre, dor e vermelhidão no local da injeção são os principais eventos adversos, mais em adultos que em crianças jovens.

Fique atentos à evolução deste surto e conversem com seus médicos em caso de dúvida!!